A diversidade do audiovisual capixaba na 12ª Mostra Produção Independente

Comments off 190 Views0


O evento também exibirá filmes produzidos de maneira alternativa e contará com lançamentos, homenagens e debates. As sessões acontecerão no Cine Jardins, em Vitória. Todas as atividades são abertas ao público!

Janela anual para promover o audiovisual do Espírito Santo e refletir sobre os rumos desse importante setor artístico-cultural, a Mostra Produção Independente chega à sua 12ª edição com o tema “Aldeias” e contará com exibições de filmes e outras atividades abertas ao público que acontecem do dia 28 a 31 de agosto (de segunda a quinta-feira). Este ano, as exibições da Mostra estão de casa nova e serão sediadas no Cine Jardins, em Jardim da Penha, Vitória-ES (ver programação completa no final da matéria).

Fazem parte dessa programação a Mostra Competitiva de curtas-metragens locais, Mostra Paralela com filmes nacionais produzidos de modo não convencional, homenagens e os lançamentos da Revista/Catálogo Milímetros nº 7 e do DVD-Coletânea da Mostra e a 3ª reunião do Fórum Capixaba do Audiovisual (única atividade da Mostra que acontecerá no auditório do Centro de Ciências Exatas da Ufes, no Campus de Goiabeiras).

Pensar o local a partir do global

Cinema lotado na 11ª Mostra Produção Independente – Cenários (2016) / Foto: Marcelo Gomes

A inspiração para o tema da 12ª edição da Mostra Produção Independente veio do poema “Da minha Aldeia” de Fernando Pessoa, com pseudônimo de Alberto Caeiro: “Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver do Universo / Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer, / Porque eu sou do tamanho do que vejo / E não do tamanho da minha altura”.

Encontro tradicional da cena audiovisual local, a continuidade da Mostra Produção Independente diz muito sobre a trajetória que a produção audiovisual local percorreu especialmente na última década. A cada ano, o trabalho de seleção de obras fica mais difícil devido ao aumento do volume e da qualidade dos trabalhos inscritos.

Além de dar visibilidade aos trabalhos de realizadores capixabas, a 12ª Mostra Produção Independente – Aldeias quer ser um espaço para pensar as formas de fomento ao audiovisual praticadas em outros estados brasileiros, refletir sobre como cada realidade local resolve seus problemas, quais suas especificidades, a fim de fortalecer e aperfeiçoar a cadeia produtiva do audiovisual no Espírito Santo.

O presidente da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas do Espírito Santo (ABD Capixaba), Thiago Moulin, enfatiza que a Mostra Produção Independente é um evento local dedicado exclusivamente para os realizadores capixabas. “Este ano queremos debater acerca dos modos de produção praticados nacionalmente. Mostra Produção Independente também é um momento para costurar parcerias e alianças, como é o caso do arranjo regional estabelecido entre a Agência Nacional do Cinema (Ancine) e o Fundo Estadual de Cultura (Funcultura) que possibilitou o aporte significativo de recursos no setor audiovisual capixaba. O acordo que definiu esse investimento foi costurado durante uma das últimas edições da Mostra onde conseguimos reunir representantes da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de TV, da Ancine e da Secult-ES”.

Mostra Competitiva Capixaba: o melhor da produção local

Documentário “Divina Luz”, de Ricardo Sá.

Com sessões às 20 horas, dos dia 28 a 30 de agosto (de segunda a quarta-feira), Mostra Competitiva traz uma seleção de 19 filmes de diretores veteranos e estreantes que mostram a diversidade de gêneros, de temáticas, de propostas narrativas e de estéticas na recente produção local. Essas obras irão concorrer em diversas categorias definidas pelo Júri da Mostra e ainda poderão ser contempladas com Prêmios do Instituto de Artes e Técnicas em Comunicação (créstidos para cursos na área audiovisual) e um Prêmio da Link Digital (com serviço de Encode DCP para um filme de até 20 minutos). As exibições serão seguidas de um bate-papo com os diretores dos filmes.

Para a 12ª Mostra Produção Independente – Aldeias, foram inscritas 80 produções: 27 documentários, 26 ficções, 7 animações e 20 videoclipes, videoartes e filmes experimentais. E a escolha foi feita por uma Comissão de Seleção formada pela produtora Leandra Moreira, pelo diretor Alexandre Serafini e pela diretora e editora Iza Rosenberg. De acordo com Alexandre Serafini, fica evidente a qualidade e o acabamento técnico das produções – o que dificultou o trabalho da seleção. “Principalmente entre os documentários comparecem filmes que fazem resgates históricos sobre as memórias familiares e locais, também lançam um olhar sobre questões da realidade atual, sobre a nossa aldeia, podemos dizer”.

Mostra Paralela Nacional: novos jeitos de fazer cinema

O premiado curta-metragem “Quando parei de me preocupar com canalhas”, de Tiago Vieira

Filmes realizados de forma inovadora e que percorreram caminhos poucos convencionais para chegar até o público serão exibidos na Mostra Paralela, que terá sessões de 29 a 31 de agosto (de terça a quinta-feira) sempre às 19 horas. Na telona, o público assistirá a dois curtas e a um média-metragem que, de maneira contundente, apresentam temáticas políticas e que foram viabilizadas via modelos alternativos de produção ou de distribuição.

Fazem parte da Mostra Paralela as produções paulistas “Quando Parei De Me Preocupar Com Canalhas”, ficção amplamente premiada de Tiago Vieira, e “Casa da Xiclet”, documentário de Sofia Amaral – ambas financiadas via crowdfunding. Lançado em 70 lugares, incluindo exibições fora do país, o média-metragem “#Resistência”, da capixaba Eliza Capai, fez uso de uma plataforma na web para promover uma distribuição gratuita e descentralizada.

Homenagem a Valentina Krupnova

A diretora e professora de cinema Valentina Krupnova será homenageada na Mostra / Foto Luara Monteiro

Com quase 70 anos, Valentina Krupnova é a homenageada da 12ª Mostra Produção Independente – Aldeias. Ela foi a responsável por proporcionar a primeira formação prática na área cinematográfica para uma geração de profissionais do cinema capixaba ao coordenar duas turmas do Curso de Realização Cinematográfica nos anos de 1994 e 1997 que resultaram em dois curtas-metragens: Gringa Miranda, lançado em 1997, e Labirintos Móveis, lançado em 1998, ambos com direção coletiva. Em 2014, lançou o curta-metragem ficcional Nega do Ébano, onde ela assume a autoria individual da obra.

De nacionalidade russa e radicada em Vitória desde 1974, Valentina nasceu na cidade de Perm, na Rússia, ainda no período da União Soviética. Desde criança era apaixonada por cinema desde a infância, identificação que a levou a cursar a graduação de História e Teoria do Cinema na mais antiga universidade de cinema do mundo: a Gerasimov Institute of Cinematography. Em 2014, ela aposentou-se após atuar como servidora pública estadual por 32 anos e, atualmente, ocupa a cadeira de número 24 da Academia Feminina de Letras do Espírito Santo.

Lançamentos
Para fazer circular e repercutir as obras e debates presentes da Mostra, também serão lançados e distribuídos gratuitamente a 7ª edição da Revista Catálogo Milímetros, e o DVD Coletânea da Mostra. A Revista Milímetros traz textos sobre o setor audiovisual, funciona como catálogo dos filmes que fazem parte da programação da Mostra Produção Independente e contou com o projeto gráfico de Gabriel Perrone. O DVD Coletânea da Mostra reúne 18 produções que foram exibidas na Mostra Competitiva Capixaba e funciona como um mecanismo de difusão desse conteúdo audiovisual, para fins não comerciais.

A 12ª Mostra Produção Independente – Aldeias é uma realização da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas do Espírito Santo (ABD Capixaba) e conta com o patrocínio do Banestes.

PROGRAMAÇÃO GERAL
12ª Mostra Produção Independente – Aldeias
Cine Jardins – Shopping Jardins – Jardim da Penha – Vitória-ES
ENTRADA FRANCA!

SEGUNDA-FEIRA (28 de agosto de 2017)
19h – Cerimônia de abertura da 12ª Mostra Produção Independente – Aldeias e lançamento da Revista/Catálogo Milímetros nº 7
Homenagem a Regina Mainardi

20h – Mostra Competitiva Capixaba – Classificação indicativa: 14 anos
Divina Luz, de Ricardo Sá, documentário, 15 min, 2017
Sweet river, de Manfredo, videoclipe, 4 min, 2017
Platônico, de Pedro Cunha, videoclip, 3 min, 2015/2017
Melodiário, sobre a obra de Jaceguay Lins, de Marcos Valério Guimarães, documentário, 25 min, 2015
Entre, de Tati W Franklin e Suellen Vasconcelos, videoarte, 4 min, 2016
Hic, de Alexander Buck, experimental, 15 min, 2016

Debate com os realizadores após a exibição dos filmes

TERÇA-FEIRA (29 de agosto de 2017)
19h – Mostra Paralela – Modelo de Crowdfunding: “Quando parei de me preocupar com canalhas”, Tiago Vieira – 15 min. – Classificação indicativa: 12 anos

20h – Mostra Competitiva Capixaba – Classificação indicativa: livre
Hotel Cidade Alta, de Vitor Graize, ficção, 25 min, 2016
Verônika Oyá Mareow, de Herbert Fieni, videoarte, 3 min, 2017
Polígono, de Caio Fabricius, ficção, 12 min 2016
Espírito São, de Leo Alves Ferreira, documentário, 26 min, 2016
Freqüência, de Dayana Cordeiro e Willian Rubim, documentário, 5 min, 2014
No Caminho da Escola, de alunos do Projeto Animação, animação, 9 min, 2017
As minas, de Brunella Alves, documentário, 18 min, 2017

Debate com os realizadores após a exibição dos filmes

QUARTA-FEIRA (30 de agosto de 2017)
19h – Mostra Paralela – Modelo de lançamento: “#Resistência”, de Eliza Capai, documentário, 55 min, 2017 – Classificação indicativa: livre

20h – Mostra Competitiva Capixaba – Classificação indicativa: 10 anos
203, de Luana Cabral e Luciana GB, documentário, 18 min, 2016
Córrego Grande, 13, de Carol Covre, documentário, 13 min, 2015
Como areia do mar, de Raphael Sampaio, documentário, 19 min, 2016
Transvivo, de Tatiana W Franklin, documentário, 30 min, 2017
Black Catolic Galatic, de Henrique do Carmo, Videoarte, 2 min, 2017
C(elas), de Gabriela Santos Alves, documentário, 18 min, 2017

Debate com os realizadores após a exibição dos filmes

QUINTA-FEIRA (31 de agosto de 2017)
13h30 – 3ª reunião do Fórum do Audiovisual Capixaba (Local: Auditório do CCE/Ufes)

19h Mostra Paralela – Modelo de Crowdfunding: Casa da Xiclet, de Sofia Amaral, Documentário, 47 min, 2016 – Classificação indicativa: 14 anos

20h30 – Homenagem a Valentina Krupnova

21h – Cerimônia de encerramento da 12ª Mostra Produção Independente, premiação e lançamento do DVD Coletânea.